O boom dos blogs e a euforia exacerbada sobre isso

quinta-feira, setembro 13, 2012


Quando eu iniciei o Without Romeo, a mais ou menos 2 anos e 6 meses atrás mal sabia como era ter um blog, ou como deveria fazer isso. E na verdade a maioria das pessoas também não sabiam (as coisas no interior demoram mesmo pra chegar) eu só sabia que eu queria ter um envolvimento com moda maior do que eu tinha, criei o blog pra compartilhar minhas ideias, discutir, analisar, entreter. Mas tudo isso mais para mim mesma do que para outras pessoas. E desde dai comecei a ver um mundo incrível de pessoas normais por trás de seus computadores falando sobre coisas que lhe interessavam.
Mas de uns tempos pra cá, eu percebi que esse meio que eu tanto amo tinha deixado de ser caracterizado como hobby e sim como trabalho (para alguns, não para mim) e que sim, algumas blogueiras deixaram de ter sua característica inicial, tinham perdido o brilho, aquela coisa eufórica, diferente e sincera que agente sentia quando lia um. 
 Posts pagos sem serem anunciados, mimos, opiniões controversas, ctrl+c ctrl+v descarados, gente falando sobre o que desconhece, etc etc e tal. Eu já refleti, enraiveci, discuti comigo mesma esse assunto tantas vezes que pra mim já saturou. Sim sim, qualquer um pode ter um blog, mas não os criem com o intuito de ganhar dinheiro e ficar famosa. E não o criem porque todo mundo tem, se falar ou  fizer besteira já tem gente que denuncia, acá Blogueira Shame, então busquem fazer uma pequena reflexão se vocês realmente querem criar um a essa altura do campeonato. Conteúdo diferenciado é essencial. (A Thereza Chammas  do Fashionismo fez um post sobre isso em 2010, quando EU estava só no começo do meu caminho, leitura que vale a pena e parece me dar um pequeno dejavú porque penso exatamente como ela.)

Porém contudo entretanto, não é essa a discussão queria estabelecer por aqui, e sim por algo que tenho ouvido por ai e me indigna por completo. Os blogs de moda NÃO SÃO TODOS PAGOS. Sim muitos se venderam, e alguns começaram só por mero apadrinhamento ou futilidade acumulada ao longo dos anos.
Mas o ato de ter um blog (e falando não só dos de moda) é uma manifestação cultural, algo proporcionado pela década imediatista e tecnológica que vivemos. Ninguém mais quer ter que pagar por uma revista para ter conteúdo interessante e agradável. Estar no conforto da sua casa, abrir o Google e buscar sobre algo que nos é importante/curioso faz muito mas parte do nosso cotidiano do que pensamos.
Agora, é preciso ter em mente que com a generalização e banalização dos blogs  nem sempre o conteúdo que tu abre é confiável e certo. Mas isso é o bom senso de cada um que vai estabelecer.

"Blogs de moda perderam a graça e originalidade"

"Tem gente que tem blog e nem sabe se vestir" 
"Todos os blogs são pagos"

Frase 1: Sim muitos blogs perderam sua originalidade, mas é necessário que o próprio LEITOR tenha consciência na lista de blogs que lê. Os blogs dos quais acompanho desde de que comecei a blogar tem o mesmo principio criativo e nunca os perderam. Faça uma limpa, e esteja ciente dos cliques que dá.

Frase 2: MAS É CLARO QUE TEM GENTE QUE TEM BLOG E NÃO SABE SE VESTIR. Essa é uma frase tão obviamente clara que dá até preguiça de comentar. Ter um blog é gratuito, QUALQUER UM, pode criar um. Se inspire com o que você se identifica, tanto no estilo, texto, mas com o que tem a ver com a sua realidade. Não adianta entrar num blog em que a menina só veste Hermès, YSL, Chanel, Luis Vuitton e se inspirar nesse estilo de vida né?

Frase 3: A maioria dos blogs grandes hoje ganha dinheiro? Sim.  Entretanto há muitos que fizeram da sua casa um escritório e ganham seu dinheiro de forma coerente, honesta, informativa. Não há nada de errado fazer  de um blog sua profissão. Pelo contrário, espertos são aqueles que os conseguem, e merecem o devido mérito. Quem engana seus leitores em um blog, poderia enganar em uma loja, empresa ou quaisquer meios em que trabalhasse. O que diferencia essas pessoas é o carácter.

Mas eu queria deixar como lição a conquista e revolução que os blogs de moda  causaram nesse mundo. Com os blogs, a moda deixou de ser categorizada como algo de elite, e tornou-se popular (com ajuda da globalização, fast fashion e etcss)   E não há nada de ruim nisso. Agora há oportunidades para todos, não importando qual é o seu sobrenome. 
Há dez anos atrás não se veria alguém qualquer sentando na fila A de um desfile importante, aliás não se via nem gente como a gente nisso, ou colaborando em uma marca, tendo seu trabalho reconhecido. Vendo pessoas tendo acesso ao que antes era escasso a classes sociais distintas. O mundo dos blogs conquistou coisas buscadas por tantos na história.  (Leiam o depoimento de uma leitora de blogs do falecido De Chanel na Laje, aliás todo o blog rende uma ótima leitura.)
Enfim, há sim coisas a serem extremamente valorizadas no boom dos blogs.


You Might Also Like

3 comentários

  1. Belo texto Lais. Acho que tem gente demais querendo reclamar sobre, tipo assunto que todo mundo mete a fuça pra participar da bagunça, mas na verdade não entende nada do assunto.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto Laís. Não sou extremamente ligado ao mundo dos blogs, nem as tendências da moda, mas ao ler seu texto consigo valorizar e entender melhor as pessoas ligadas a esse mudo (como muitos dos meus alunos). Anyway, é sempre bom ler um bom texto!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada senhores anônimos :) É o que eu quis passar pra gente não tão ligada a moda entenda o que se passa nesse diferente mundinho no qual muitos se encontram. Realmente fico muito feliz ao ver gente comentando que gosta de ler meus textos!

      Excluir

Os amigues que são lindes comentam :)

Follow by Email

Subscribe